María José T. Molina

Teoria da Equivalência Global

FISICA E DINÂMICA GLOBAL

Tipos de movimento

Classificação dos tipos de movimento em física da Dinâmica Global. Tipos de movimento da matéria normal, da luz ou da energia eletromagnética e da massa.

3.c.1. Tipos de movimento

Grande parte da argumentação que perfila os novos tipos de movimento aparece nos livros em linha da Mecânica Global e da Lei da Gravidade Global.

A classificação dos tipos de movimento que se apresenta realizou-se da perspectiva da sua característica reticular. Ou seja, é independente dos tipos de movimento existentes com outras perspectivas sobre a relação do espaço com o tempo, como movimento retilíneo uniforme, movimento acelerado, etc.

Não obstante, uma classificação de tipos de movimento afetada será a relacionada com sistemas inerciais e não inerciais da perspectiva física da Mecânica Relativista ou os tipos de movimento puramente matemáticos da Mecânica Quântica.

Para a exposição dos tipos de movimento com a perspectiva reticular pode servir como critério de ordenação a evolução do universo local ou do Little Bang. Segundo o livro em linha sobre Astrofísica e Cosmologia Global, uma possibilidade de gerar um Little Bang seria o choque de dois buracos negros muito grandes de caráter espiral oposto.

Desde logo, a seguinte classificação dos tipos de movimento é um tanto ousada em alguma das suas propostas ao ser o novo modelo da dinâmica física totalmente diferente da atual. Ainda assim, espero que se aproxime conceitualmente mais à realidade física que os modelos da Física Moderna sobre o espaço, o tempo e a sua relação.

Como o movimento da globina está intimamente relacionado com o da luz e da massa, podem-se produzir solapamentos na descrição dos distintos tipos de movimento ou deslocação.

Tendo em conta o que foi dito anteriormente, aparecerão os seguintes tipos de movimento:

TIPOS DE MOVIMENTO
Deslocações da globina
  • Expansão e contração reticular.
    • Little Bang.
    • Afastamento e aproximação das estrelas.
    • Dissolução e criação de elétrons.
    • Criação da massa (compactação)
    • Criação da massa (confinamento)
  • Vibração longitudinal da globina.
    (Causa da ressonância do núcleo atômico)
  • Movimento do campo gravito-magnético.
    (Causa das órbitas de elétrons)
  • Variação da tensão da curvatura longitudinal.
Propagação da luz
  • Arrasto total da luz por globina.
  • Movimento de onda mecânica.
  • Curvatura da luz.
O movimento da massa (y da ondina)
  • A dança dos ondóns. (Ondina) (Globudésicas)
    Vibração dos núcleos atômicos.
  • Movimento grego ou normal.
  • Precessão anômala órbitas planetas.
  • Arrastamento da massa pela globina.
  • Deslocação da globina.

    Estes tipos de movimento de deslocação da Física Global têm pouco que ver com as Leis de Newton ou com a Teoria da Relatividade de Einstein, e muito menos com a Mecânica Quântica. Veja-se o exemplo de atravessar o rio saltando sobre pedras na definição de espaço e a sua diferença em relação à Teoria da Relatividade de Einstein.

    • Expansão e contração reticular.

      • Movimento rápido da Teoria da Inflação do universo.

        A descompressão da massa comprimida que contêm os buracos negros provocaria o aumento de volume e a deslocação da globina de forma a que a velocidade do seu movimento pudesse ser muito superior à da luz.

        Nesta etapa, a propagação da luz terá velocidades muito superiores a *c*, a referida velocidade irá dever-se ao fato da luz se deslocar sobre a tensão longitudinal da estrutura reticular da matéria ou, o que é a mesma coisa, a sua deslocação física é aditiva em relação ao seu meio suporte.

      • Afastamento e aproximação das estrelas.

        Normalmente conhece-se como expansão e contração do universo.

        Fora da etapa da inflação, a globina sempre estará em movimento por efeito da expansão do universo provocada por emissão de energia eletromagnética das estrelas e da contração devida à acumulação de massa comprimida nos buracos negros.

      • Dissolução e criação de elétrons.

        Como a Mecânica Global explica, os mesmos fenômenos de expansão e contração da estrutura reticular da matéria ou globina produzem-se com a criação ou destruição de partículas elementares com massa.

      • Criação da massa (compactação)

        Um caso diferente é o estiramento de uma retícula no processo de formação dos prótons e nêutrons, que é o que acaba dando estabilidade aos mesmos.

      • Criação da massa (confinamento)

        Os movimentos elásticos dos filamentos da retícula que suporta a massa dos núcleos atômicos devidos às suas mudanças de energia. 

       

    • Vibração longitudinal da globina.

      Vibração que transmite a tensão longitudinal da estrutura reticular da gravidade. A tensão da curvatura longitudinal é a base da força de atração gravitacional.

      A referida vibração também estará conectada com os fenômenos de ressonância interna das partículas com massa.

    • Movimento do campo gravito-magnético.

      Convém assinalar também que, segundo a Mecânica Global, pela presença da massa a globina configura parcialmente o campo eletromagnético ou, com maior propriedade, o campo gravito-magnético sem necessidade da existência de fótons.

      A propagação da luz ou propagação da energia eletromagnética, como onda transversal de caráter mecânico sobre a globina, provoca um tipo de movimento adicional da globina, ao alterar a sua distribuição espacial.

      Este tipo de movimento inclui para além da propagação da luz, como se menciona no parágrafo anterior, a dança dos ondóns e a vibração do núcleo do átomo.

      O estado de agregação da matéria em sentido amplo formado por zonas da globina comprimidas mas distinto do estado de massa, pela sua instabilidade, denomina-se ondina (Wavine)

    • Variação da tensão da curvatura longitudinal da globina.

      O verdadeiro meio suporte da luz não é a estrutura reticular da matéria ou globina, mas sim a tensão da curvatura longitudinal e transversal da referida estrutura na ausência de fótons. consequentemente, quando se diz que a globina ou estrutura reticular da gravidade é o meio suporte da luz tem que entender-se o referido conceito tendo em conta a relevância da precisão que se acaba de expor.

      A deslocação ou variação da tensão da curvatura longitudinal dos filamentos da globina sustenta a explicação alternativa à experiência de física de Michelson-Morley. Aspecto que sem dúvida cumpre, pois o campo gravitacional acompanha a deslocação dos planetas.

      Este tipo de arrasto proporcionaria uma explicação alternativa à Teoria da Relatividade de Einstein, da experiência de física de Michelson-Morley.

      Não obstante, a estrutura reticular da gravidade não é um fluído; segundo a Wikipédia “Um primeiro passo para abandonar o conceito de éter elástico foi realizado por MacCullagh, que postulou um meio com propriedades diferentes à dos corpos ordinários. As leis de propagação de ondas neste tipo de éter são semelhantes às equações eletromagnéticas de Maxwell.

      A variação da tensão da curvatura longitudinal da globina pela rotação do planeta e a diferente deslocação das partículas com massa que a compõem poderia ser a causa principal da existência de campo magnético da Terra.

     

  • Propagação da luz.

    Como referi anteriormente, sendo a energia eletromagnética uma perturbação física da globina, o movimento da luz significa sempre uma deslocação da globina; por muito pequena que seja a variação da situação no espaço da globina.

    • Arrasto total por tensão longitudinal da globina.

      Movimento derivado da deslocação no espaço da globina e da sua tensão longitudinal. Tenhamos em conta que, para além do próprio movimento da globina, existirá variação da tensão longitudinal e não unicamente variação da tensão da curvatura longitudinal da globina.

      A propagação da luz a velocidade superior a *c* mantém-se para além da etapa de inflação do universo, visto que sempre que a globina se está movendo ou exista variação da sua tensão longitudinal produz-se um efeito de arrasto total da luz; ou seja, a velocidade da luz é aditiva e será a soma da sua velocidade de propagação sobre a globina mais a da própria globina.

    • Movimento de onda mecânica sobre meio não dispersivo.

      A luz propaga-se como onda transversal de caráter mecânico com a tensão longitudinal da globina como meio suporte.

      Independentemente do movimento da globina, a força de gravidade derivada da tensão da curvatura longitudinal da globina gerada pela massa afetará a velocidade da luz, quanto mais tensão maior será a velocidade da luz. Esta questão sobre se a velocidade da luz é constante ou não, discute-se com detalhe no livro da Mecânica Global.

      Passará o mesmo com a tensão longitudinal da globina. Pense-se que nos fenômenos da Astrofísica se podem produzir grandes variações da tensão longitudinal com pouca variação da curvatura longitudinal dos filamentos da globina.

    • Curvatura da luz (Efeito Merlin)

      Outro tipo de movimento, característica ou propriedade da propagação da luz no espaço é a produzida pela energia potencial gravitacional ou tensão da curvatura longitudinal da globina ao configurar a simetria radial da gravidade.

      O mecanismo de transferência de energia do efeito Merlin (Mercury-Lightning) ou efeito Merluza (Mercúrio-Luz) ou segunda componente da atractis causa deve-se à velocidade da luz e é semelhante ao da primeira componente ou força de gravidade da Lei de Gravitação de Newton, que por sua vez se deve à velocidade de vibração das ondas longitudinais do campo gravitacional. A explicação detalhada encontra-se no livro da Lei da Gravidade Global.

      As implicações deste tipo de movimento são importantes na Física Global porque explicam a curvatura da luz pelas estrelas e galáxias ou efeito de lentes gravitacionais.

      Claro, trata-se de uma explicação alternativa à Teoria da Relatividade de Einstein. Não é a mesma coisa uma deslocação no espaço ou que o próprio espaço se expanda ou contraia, sobretudo para a boa saúde dos neurônios!

      Lentes gravitacionais
      Anel de Einstein-NASA
      (Imagem de domínio público)
        curvatura da luz – NASA

     

  • O movimento da massa

    • A dança dos ondóns (The dance of the wavons)

      Depois de Little Big Bang forma-se a massa. Seguramente existiram ondóns na etapa de inflação, mas é uma questão irrelevante para as nossas análises.

      A Mecânica Global definiu os ondóns como um novo tipo de partículas. A massa física dos ondóns é o resultado da relaxação da diferença da tensão transversal na estrutura reticular ou energia eletromagnética mediante o movimento. O caso mais conhecido seriam os elétrons que neutralizam a carga do átomo.

      Por vezes, à massa dos ondóns chamo-lhe Ondina (wavine) para diferenciá-la da massa normal.

      Este tipo de movimento refere-se à deslocação no espaço dos ondóns dentro das suas órbitas, já que para mudar de órbita desfazem-se as espirais que os formam e geram energia eletromagnética. Depois voltam a criar-se as espirais, novelos ou caracolitos que formam os ondóns num ponto espacial pertencente a outra órbita ou linha globudésica.

      As órbitas dos elétrons
      (Microscópio olhológico)  As órbitas dos elétrons

      Os ondóns deslocam-se ao longo da sua órbita como resultado do movimento da globina e do balançar do núcleo do átomo para relaxar a tensão transversal não relaxada ou eliminada com as espirais completas criadas ou elétrons.

    • Movimento grego.

      De todos os tipos de movimento, este é o mais normal e quotidiano, pois refere-se à deslocação no espaço que todos conhecemos das coisas.

      O mecanismo que permite o movimento da massa denomina-se energia cinética e é ao que se referem principalmente as Leis de Newton e, do ponto de vista mais recente, o conhecido conceito de massa relativista ou massa própria mais a massa que se adquire com a velocidade.

      O movimento da massa física é estranho, pois segundo a Mecânica Global a massa não é mais que uma espiral da globina. Para se mover deverá existir um mecanismo que lhe permita mover-se ao longo da globina, com a complicação de ser uma espiral tridimensional da mesma. Por outras palavras, o movimento da massa é como o de um nó corredio.

      A massa física move-se através da globina quase como uma bola se moveria entre lençóis, com a particularidade de que a bola é feita dos mesmos fios que os lençóis.

    • Precessão anômala das órbitas dos planetas. (Efeito Merlin)

      Como no caso das lentes gravitacionais no movimento da luz, este tipo de movimento da massa também é produzido pela segunda componente da atractis causa ou efeito Merlin.

      A Lei da Gravidade Global acrescenta uma segunda causa física da força da gravidade; trata-se do efeito Merlin devido à velocidade sobre o campo gravitacional ou sistema de referência natural.

    • Arrasto da massa pela globina.

      Este tipo de movimento poderia confundir-se com o anterior, mas do ponto de vista da física são muito diferentes. Não se trata de um movimento da massa sobre a globina, que é o seu meio suporte, mas sim do movimento da globina. A globina seria um meio suporte parcial em relação ao arrasto da massa física.

      Um exemplo esclarecedor deste tipo de movimento seria a variação da situação no espaço da bola que se encontra entre os lençóis devido à deslocação da cama.

      Creio que a melhor forma de entender este movimento é pensar no movimento inverso. Se a massa se desloca sobre a globina a certa velocidade pela configuração espacial da sua massa física, modulada pela energia cinética adquirida; uma deslocação da globina terá um efeito sobre o movimento da massa em função da referida configuração espacial.

      NOTICÍAS DE FÍSICA

      NASA Gravity Probe-B
      Precessão e efeito de arrasto segundo Einstein
      (Imagem de domínio público)  Gravity Probe-b de la NASA

      "A sonda espacial Gravity Probe-B, da NASA confirmou com alta precisão duas predições chave derivadas da Teoria Geral da Relatividade de Einstein: a curvatura do espaço-tempo em redor de um corpo e o chamado efeito de arrasto de marco, pelo que a Terra na sua rotação torce o espaço-tempo."

      El País 05-05-2011

      Este tipo de movimento físico também estará relacionado com o balançar do átomo, mas tratar-se-ia de uma bola numa espreguiçadeira dorminhoca.

 

 
 
© 2008 Todos os direitos reservados