1. CONCEITO DE MATÉRIA E ENERGIA

1.a) Matéria e energia

O desenvolvimento da nova teoria física da gravidade demonstrou que a mudança de paradigma configura, para além de uma teoria de unificação, o que em física se denomina uma teoria de todo, por afetar de forma significativa numerosos princípios e leis de física; tanto, que os podemos separar em dois grandes grupos:

  • O primeiro grupo será formado pelos princípios de física que definem a matéria e os seus diversos estados de agregação.

  • O segundo será formado pelos clássicos princípios sobre o espaço e o tempo e as suas implicações sobre as propriedades de la matéria nos seus diversos estados de agregação, como os conceitos de movimento, força, força de gravidade e energia.

Este livro de ciência moderna estuda o primeiro grupo de princípios de física e relativos à equivalência entre gravidade e massa, do ponto de vista do seu suporte, constituição ou realidade física e da energia como propriedade dos estados de agregação da matéria.

Se a Dinâmica Global trata temas relacionados com o espaço e o tempo e a sua relação com a física da gravidade, a Mecânica Global está mais próxima dos temas típicos da Mecânica Quântica.

As reflexões sobre as propriedades da estrutura reticular da matéria ou éter global, e o mundo subatômico levaram-me a realizar algumas precisões sobre os estados de agregação da matéria que configuram os conceitos de massa e gravidade.

Dois aspectos merecem atenção especial, por um lado, o éter global e a massa existem como entidades físicas reais e independentes de qualquer observador. Por outro lado, na nova teoria do todo se conseguiu tornar desnecessárias as forças à distância ou derivadas de campos com propriedades puramente matemáticas sem suporte material de caráter físico.

Ainda que a complexidade das fórmulas matemáticas deste livro relacionadas com os estados e a estrutura da matéria que estuda a Física Quântica seja elevada possa provocar graves tensões matemáticas aos neurônios. Ainda assim, a abordagem do livro sobre o conceito, propriedades e características da matéria volta a ser bastante suave ao evitar entrar em detalhes quantitativos.

Não obstante, estou convencido de que a matemática não será um problema para a nova definição de matéria e outras ideias insólitas; pois, na verdade, a matemática está muito avançada, mas sem uma base física que a suporte e a faça coerente num modelo completo da realidade física.

Entre os elementos do conceito da matéria podemos citar:

  • Uma nova descrição da estrutura da matéria.

    • A existência do éter global –estrutura reticular da matéria com suporte da gravidade ou energia potencial, a energia cinética e a massa– permite entender a origem das forças da gravidade.

    • Esclarecimento dos mecanismos da energia mecânica na transformação entre energia cinética e potencial gravitacional.

    • A modulação da força de gravidade que chega inclusivamente a ser negativa, podendo significar a confirmação da igualdade da experiência física Giga-Chron.

  • Relação das forças e campos de gravidade com as forças e campos eletromagnéticos.

    • Conceito de gravidade –tensão da curvatura longitudinal do éter global– como meio suporte do eletromagnetismo.

    • Definição dos fótons como ondas mecânicas de torção ou giro transversal.

    • Constância da velocidade da luz por ser onda física de torção ou giro transversal de caráter mecânico.

    • Variação da velocidade da luz com a intensidade do campo gravitacional ou éter global.

    • Explicam-se a denominada dualidade onda-corpúsculo do efeito fotoelétrico, a experiência de Young ou dupla fenda.

  • Unificação da força da gravidade com a força nuclear fraca e forte, e com a interação eletromagnética.

    • Conceito e natureza das partículas elementares com massa.

    • Novo modelo atômico que proporciona uma base mecânica e não virtual do Modelo Standard das partículas elementares; permitindo entender algumas relações entre as referidas partículas sem necessidade de recorrer à magia.

    • Explicação da natureza dual da matéria e, por vezes, natureza mista.

    • Explicação do efeito túnel.

Apesar da sua especificidade em relação ao que é a matéria e as suas propriedades, a Mecânica Global tem de entender-se imersa na Física Global, pelo que esta se configura como uma teoria de substituição múltipla (Mecânica Quântica e Teoria da Relatividade).

Gravidade
na borda de um objeto
Gravidade na borda de um objeto

A substituição no caso da Teoria da Relatividade é relativamente simples, visto que apesar de ter alguma aproximação importante como a equivalência massa-energia, o seu núcleo da relatividade do tempo é incorreto tanto desde um ponto de vista físico como convencional.

Pelo contrário, com a Mecânica Quântica o tema é mais complexo, pois requer por um lado reconhecer que é um conhecimento mais descritivo, ao ter-se ela mesmo limitado com o seu Princípio de Incerteza em relação ao estudo dos mecanismos básicos da energia e ao conhecimento da realidade abaixo de um determinado limite. Desta forma, evita cometer erros sobre o que é a matéria e outros conceitos, conseguindo uma utilidade indiscutível no mundo da ciência e da tecnologia.

Por outro lado, a partir de uma Física Geral não relativista, a Mecânica Quântica encontra-se apoiada em conceitos sobre o movimento e a energia ainda mais enraizados que os da Teoria da Relatividade e, consequentemente, mais difíceis de rebater, modificar ou melhorar. Não obstante algumas interpretações parecem estar bastante distantes da realidade física.

Em certo sentido, o novo paradigma da Física Global que se descobre pouco a pouco, poderia supor um salto em relação à Física de Newton semelhante ao salto que supôs a Física Clássica em relação à Mecânica Grega. Pelo elevado grau de abstração necessário para compreender os novos conceitos, em princípio nada intuitivos, é recomendável fixar os conceitos antes de ler cada capítulo seguinte.