2.b.1. A interação gravitacional e a força gravitacional

Até à introdução da gravidade e a sua força gravitacional qualquer retícula da estrutura da matéria no espaço euclidiano teria as mesmas propriedades. Ou seja, a globina tinha uma simetria igual em todas as direções, simetria global ou supersimetria.

No apartado anterior da teoria gravitacional vimos as propriedades físicas do estado de agregação da matéria que configuram a gravidade, especialmente a introdução da simetria radial e a tensão da curvatura longitudinal aditiva.

Como se pode observar nas figuras, a citada supersimetria quebra-se no campo gravitacional pelo efeito da massa, que provoca uma separação dos filamentos da estrutura reticular da gravidade. Para além da simetria radial do campo gravitacional, nas imagens mostradas pode reconhecer-se uma simetria cima-baixo ou em relação ao eixo horizontal, onde os filamentos da estrutura reticular da gravidade são convexos em relação ao eixo da simetria.

Por outras palavras, a massa provoca uma tensão elástica na rede tridimensional do campo gravitacional ao separar os filamentos num dos seus extremos, de forma que o interior das linhas é convexo em relação à massa ou ponto de maior separação dos dois filamentos ou linhas de tensão elástica, provocando a assimetria vertical da figura holhológica.

Em relação à força gravitacional convém assinalar que poderiam existir duas causas diferentes, uma que explicaria o movimento devido à força de gravitação clássica ou força da gravidade de Newton e outra que explicaria o movimento da precisão anômala da órbita de Mercúrio em vez da distorção do espaço sugerida pela Teoria da Relatividade Geral de Einstein.

No livro em linha da Lei da Gravidade Global irão analisar-se as referidas causas e a sua formulação matemática em Lei da Gravitação Universal de Newton com a correção incorporada pela Lei da Gravidade Global em relação ao efeito da energia cinética sobre a força de atração gravitacional.

Também se deixará para outra página a análise das características da força gravitacional nas distâncias atômicas.

Finalmente, o outro tema relacionado com a força da interação gravitacional é-lhe dedicada uma página no livro da Lei da Gravidade Global; trata-se das características das ondas gravitacionais e das diversas definições ou conceitos que se utilizam ao referir-se a elas. Em particular, incluem-se algumas reflexões sobre as características das ondas longitudinais e sobre a velocidade de transmissão da energia potencial gravitacional.

Em seguida analisaremos um dos aspectos mais relevantes da interação gravitacional. A propriedade aditiva da tensão da curvatura longitudinal ou energia potencial elástica da globina que suporta a força gravitacional.

  • Propriedade aditiva da força gravitacional.

    A curvatura longitudinal que provoca ou sustenta a interação gravitacional, juntamente com as características de rigidez, provoca que se gerem linhas de tensão elástica nos filamentos da estrutura tridimensional da gravidade.

    Os campos eletromagnéticos também possuem a propriedade aditiva das suas potencialidades, pois como veremos mais à frente o seu suporte material também é a globina, mas neste caso trata-se da elasticidade transversal dos seus filamentos.

    As cores vermelho e verde das três figuras sobre a força gravitacional mostram a propriedade aditiva da elasticidade da curvatura longitudinal como uma relação linear ao somar as distâncias verticais entre os filamentos; uma maior aproximação à realidade seria a de somar as distâncias em escala semi logarítmica pela lei do inverso dos quadrados.

    Força gravitacional
    Convexidade em relação ao eixo de simetria Convexidade em relação ao eixo de simetria
    Simetria radial da força gravitacional
    Simetria radial da força gravitacional
    Propriedade aditiva da força gravitacional
    Propriedade aditiva da força gravitacional

    Com a força da gravitação baseada numa estrutura de retículas tridimensionais elásticas a característica de ter tensão aditiva é bastante intuitiva. No entanto, convém ressaltar dois aspectos novos do modelo gravitacional:

    • Não se deve confundir a representação matemática de um campo gravitacional mediante as linhas de força do campo e as linhas ou filamentos materiais que suportam ou permitem a existência da força gravitacional.

    • O máximo de separação dos filamentos será determinado pela elasticidade longitudinal pura dos lados das retículas tridimensionais da estrutura da matéria. Na figura seria uma distância menor ao diâmetro da bola de massa que, por sua vez, será também determinado pela citada elasticidade reticular como veremos ao falar de o que é a massa física e as partículas fundamentais com massa e estáveis.

    A rigidez da estrutura do estado de agregação da gravidade fará com que a convexidade vá decaindo até distâncias muito grandes de acordo com a atração da lei gravitacional do inverso dos quadrados.

    A curvatura criada nos filamentos da composição reticular da gravidade ou globina implica a existência da energia potencial elástica e terá forma assintótica na parte direita da figura comentada em relação ao eixo de simetria horizontal. Esta tensão elástica dos filamentos é a responsável pelos múltiplos componentes da força de atração gravitacional e da aceleração gravitacional.

 

 
© 2008 Todos os direitos reservados

María José T. Molina

Teoria da Equivalência Global

A MECÂNICA GLOBAL