2.b.2. A interação eletromagnética

2.b.2.a) Propagação das ondas eletromagnéticas

Segundo a Mecânica Global, as ondas eletromagnéticas são ondas transversais de natureza mecânica sobre o éter luminífero –campo da gravidade ou tensão da curvatura longitudinal da estrutura reticular da matéria.
Vimos também que o éter global é a estrutura reticular da matéria com suporte da gravidade ou energia potencial, a energia cinética e a massa.
Em outras palavras, o meio de suporte de éter luminífero é o éter global.

O conceito de fóton ou fotão e de onda eletromagnética é muito escorregadio na teoria da Física Moderna pela conhecida dualidade onda-corpúsculo.

A experiência da dupla ranhura ou dupla fenda realizada por Thomas Young em 1803 apontou a natureza ondulatória da luz ao obter padrões de interferência e difração na propagação das ondas eletromagnéticas.

Por outro lado, o efeito fotoelétrico, explicado por Einstein em 1905, mostra a natureza corpuscular ou de partículas dos fótons ou fotões ao comprovar que a absorção da luz e das ondas eletromagnéticas se efetua de forma discreta ou quantum de luz, com uma constante de proporcionalidade cujo valor é a constante de Planck.

Não obstante, eu diria que tudo isto é exagerar um pouco as contradições para elevar artificialmente uma disciplina científica. Pergunto-me como se pode pensar numa onda que não tenha natureza material? Por acaso terá natureza espiritual? A energia não é uma propriedade da matéria? O fenômeno do século XIX e princípios do XX com a natureza da luz é parecido ao da Mecânica Quântica atual, saltam-se as barreiras da ciência, da religião e da magia por todas as partes.

O efeito fotoelétrico demonstra que a natureza corpuscular da luz é discreta e não contínua ou, com maior precisão, que a elasticidade transversal do éter luminífero como suporte da interação eletromagnética se sustenta em mecanismos físicos de natureza discreta.

Tendo em conta que filamentos do éter global são inquebráveis e, portanto, a natureza contínua da matéria, teremos que incorporar uma nova propriedade à o éter global para implementar a coerência do modelo com as ondas eletromagnéticas.

Os filamentos do éter global terão elementos internos, que podemos denominar elastocitos, com uma propriedade elástica especial. Os elastocitos encontram-se em constante vibração como suporte da sua energia interna e permitem tanto elasticidade ou tensão da curvatura longitudinal da interação gravitacional como a transmissão de um giro ou torção a partir de uma unidade mínima de energia na interação eletromagnética; no caso contrário ou pelo excesso de torção que não alcance uma unidade mínima adicional, a energia de torção será refletida.

Talvez o filamento entre dois vértices de uma retícula do éter global seja o que configure um elastocito, independentemente da sua grande elasticidade longitudinal.

Vou tentar expor a vida física do fóton ou fotão nas diversas etapas da interação eletromagnética de forma simplificada, não obstante o conceito de fóton ou fotão não se entenderá até que não se enquadre dentro do modelo inteiro, especialmente o campo magnético e o eletromagnetismo em geral. Por outras palavras, todos os conceitos sobre a estrutura da matéria, nos seus diversos estados de agregação, estão intimamente relacionados e obter-se-á uma visão mais intuitiva uma vez que se conheça o modelo elástico completo sobre a realidade física da Mecânica Global.

Alguns conceitos novos são duros de aceitar pela grande variação ou mudança de paradigma que significam em relação às posturas anteriores. O conceito atual de onda eletromagnética ou fóton é algo que não tem massa ou entidade física e que se desloca por um espaço vazio onde não há nada, ainda que ultimamente se vá debilitando esta ideia, a algumas pessoas custa-lhes substituir o nada por algo desconhecido. Talvez neste caso não seja difícil mudar um conceito tão nulo por algo mais tangível para a mente ou intuitivo.

Elasticidade transversal Éter luminífero
Meccanismo di torsione e elasticidade transversal

Para nos aproximarmos do novo conceito de fotão ou onda eletromagnética e sem intenção de realizar uma descrição exata do novo paradigma de física, vejamos as três principais etapas consecutivas em que se pode dividir a sua vida: início, propagação das ondas e colapso da onda mecânica.

 
 
  • Torção inicial da onda magnética.

    A origem da propagação das ondas eletromagnéticas é uma variação espacial do éter luminífero e, portanto, do éter global que provoca um mecanismo de torção descrito nas páginas anteriores, se deforme devido à propriedade de elasticidade transversal.

    A figura mostra a forma característica de uma viga ou barra de poliuretano quando se lhe aplicou uma torção suficiente num extremo e não pode eliminar a tensão transversal por ter o outro extremo fixo.

    Depois, a interação eletromagnética se complicará algo mais pelos movimentos do éter global dos núcleos atômicos e da formação da massa, especialmente a massa dos elétrons.

A propagação das ondas transversais mecânicas e colapso da onda eletromagnética encontram-se na página seguinte.