III. Metodologia de análise de sistemas complexos

  • O sexto método: Vitalismo Condicionado.

Independentemente das consequências que poderia ter a Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida no âmbito científico e técnico, ao proporcionar uma base lógica e coerente para todos os avanços tecnológicos que já se tão produzindo nos sistemas complexos de genética e biologia, permitindo uma melhor planificação e coordenação da investigação na matéria, esta teoria supõe uma metodologia de investigação em si mesma.

Quando, por motivos filosóficos, se introduz o conceito amplo da vida e o de melhoria interna da informação genética como motor da evolução; que, como não se tem mais informação do mesmo, se associa à própria vida ou Vida com maiúscula; e aplica-se a lógica pura aos objetivos instrumentais que necessariamente deve ter, o que se obteve foi a Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida, como um caso articular, importante e muito especial da metodologia de investigação vitalista.

Recordem-se os três métodos científicos elementares da argumentação de uma teoria e os dois métodos científicos para a sua verificação, este sexto método é diferente dos anteriores quando não se trata de um método científico elementar mas sim de um método composto pelas diversas formas de argumentação e verificação empírica.

Consequentemente, o sexto método do Vitalismo Condicionado enquadrar-se-ia nos métodos científicos de sistemas complexos que implicam uma especial metodologia da ciência em virtude das suas características da investigação particulares.

No apartado relativo aos sistemas de impulso vital da citada Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida comentam-se as características básicas dos seres vivos e, por extensão, dos sistemas complexos com impulso vital.

Uma vez definido conceptualmente um sistema complexo, a primeira etapa da investigação será estudar que fatores ou elementos o afetam ou condições técnicas. Por outras palavras, as condições nas que se desenvolvem e nas que se poderiam desenvolver.

Os sistemas complexos têm de ter uma finalidade, ou seja, com objetivos. Ainda que estes não se possam determinar com clareza, numa segunda etapa da investigação deverá trata-se identificar tanto os objetivos intermédios deste tipo de sistemas dinâmicos como os métodos, processos e instrumentos particulares necessários para a sua obtenção. Estes objetivos equivalem às condições lógicas de:

  • Melhoria da eficácia.
  • Garantia e segurança.
  • Coerência ou compatibilidade interna.
  • Otimização dos recursos.

Na medida em que um sistema cumpra as assinaladas características básicas dos seres vivos e sejamos capazes de identificar um conjunto suficiente destes elementos derivados, podemos dizer que o sistema se comportará como se tivesse um verdadeiro impulso da Vida.

Vitalismo condicionado

As características desta metodologia da investigação de sistemas complexos lembram-me a teoria do caos e a teoria da complexidade como tentativas de estruturar elementos que à primeira vista parecem totalmente dispares ou independentes.

Outra ideia relacionada com os sistemas complexos e metodologias para estudá-los seriam as características dos fractais e as suas representações matemáticas. O fractal que sempre me fascinou foi o fractal dinâmico da chama de uma fogueira.

Não obstante, também não é tão novo o tema, pois afinal é a argumentação em que se sustenta a teoria econômica moderna. De fato, toda a teoria econômica deriva de agregações das preferências individuais e utilidades marginais, que acaba por incluir o impulso vital dos indivíduos.

Noutros ramos do conhecimento ou noutros sistemas vitais, talvez já se conheça o verdadeiro motor do sistema, mas se se desconhece ou não se estudou em profundidade, conhecendo tanto os objetivos instrumentais como os objetivos últimos, a mesma metodologia poderia voltar a dar resultados surpreendentes.

A Física Teórica de Partículas é a ciência que mais se próxima, em princípio, à Vida, mas continua sem encontrar nenhuma pista concreta sobre a mesma. Talvez não seja tão necessário a sua localização e seja muito útil supor que, efetivamente, se encontra imersa nos processos físicos. Quem sabe...?

Pensemos, qual é o motor e as forças que movem a economia ou a investigação em geral, ou as do próprio sistema político...

O inconsciente social é formado pelos indivíduos ou pela cultura? O sistema político é um dos gestores da memória... a administração é um conjunto de mecanismos internos... Ainda que se possa configurar um modelo completo, não se quer dizer que se tenha que fazer, nem que seja mais eficiente que outro tipo de análise que podem ser melhores por qualquer razão ou, simplesmente, por ser mais simples. Em casos com níveis de complexidade elevados é recomendável a utilização de modelos de análise parcial.

Ainda que sejam amplas as consequências que se podem derivar da Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida, há que ser consciente de que a Vida e os sistemas de impulso vital existiram, e seguiram a sua própria dinâmica interna, independentemente de que agora nos encontremos na disposição de entendê-los melhor. Antes de Galileu, a Terra também dava voltas em redor do Sol.