3.b.3. A energia mecânica

Na Física Global, a definição da energia mecânica é a soma das energias cinética e potencial associadas a uma massa num campo gravitacional. Na ausência de outras forças a energia mecânica de um corpo em órbita mantém-se constante.

A energia mecânica é um conceito abstrato de soma de energias de natureza matemática, que liga ou relaciona as causas do movimento inercial com o movimento devido à força da gravidade.

A razão para que a energia mecânica seja constante é convencional ou derivada de princípios de conservação da energia. Se o sistema é fechado e só se contemplam duas manifestações da energia, a soma de ambas tem que ser constante.

Com a teoria da gravitação de Newton explicavam-se as órbitas dos planetas e mantinha-se o princípio de igualdade entre massa inercial e massa gravitacional. A massa em ambos casos era uma constante de proporcionalidade entre a força aplicada e a aceleração resultante dos corpos. A aceleração da gravidade segue a lei de inverso dos quadrados.

A Teoria da Relatividade de Einstein mantém o princípio de igualdade entre massa inercial e massa gravitacional, mas continua sem saber o que é a massa para além de uma constante de proporcionalidade. A massa não aumenta com a velocidade relativa devido ao modelo matemático utilizado, mas é multiplicado por γ –na verdade, como se aumentou–; e esse aumento torna necessária maior força a maior velocidade para produzir a mesma aceleração.

Nave espacial Discovery(Imagem de domínio público)
Nave espacial Discovery

Na Teoria da Relatividade a energia mecânica é maior que na Física Clássica de Newton, pois a energia cinética de um objeto em queda livre vertical será maior devido ao aumento de massa com a velocidade.

Por outro lado, pelas observações da Astronomia, a massa gravitacional aparenta ter um comportamento diferente da massa inercial. E visto que um aumento da massa com velocidade não altera a força de gravitação por unidade de massa, a Relatividade Geral necessita distorcer o espaço para poder acertar as órbitas dos planetas e a sua precessão anômala em relação à Lei de Gravitação Universal de Newton.

Um problema adicional criado pela Relatividade Geral é que, ao seguir a distorção do espaço a mesma lei do inverso dos quadrados, a gravidade inteira passa a ser um efeito geométrico do continuum matemático e perdem-se ainda mais os conceitos intuitivos da realidade física.

Visto que a lei que governa a elasticidade do éter global está presente em todo o tipo de relações físicas, muitas vezes os cálculos matemáticos de modelos imaginários são úteis com interpretações físicas bastante distantes da realidade. Até parece que o tema é tão fácil tão fácil que é fácil confundir-se.

Para a Mecânica Global a massa é formada por caracóis do éter global, gravitacional ou cinético. Assim, o princípio de igualdade da massa inercial e massa gravitacional, além de vaga, não é mais necessário porque a massa é definida pela sua realidade física e não o seu comportamento.

Na Física Global o conceito de energia cinética como propriedade da massa devida à tendência a manter o seu estado de movimento e que implica uma maior ressonância da massa ou sincronização com a vibração do éter global ou cinético.

Definição da energia potencial como propriedade de uma massa por se encontrar num ponto da estrutura reticular da matéria –éter gravitacional ou global–, com simetria radial.

A Lei da Gravidade Global proporciona uma segunda modificação ou matização à Segunda Lei de Newton, Lei da Força ou Lei Fundamental da Dinâmica. Se Einstein introduziu uma variação intrínseca da massa com velocidade e o correspondente aumento de atração gravitacional, mais a distorção do espaço, a Lei da Gravidade Global acrescenta uma variação adicional da força de gravidade devida à velocidade e distinta da induzida pelo citado aumento da massa; apesar de serem ambas variações idênticas em termos quantitativos.

Neste caso produzir-se-á um aumento da aceleração gravitacional, que depende da energia cinética –especificamente a relação entre a massa cinética e a massa global–, como se observa na Lei da Gravidade Global. Com esta modificação da Lei da Gravitação Universal explica-se a precessão anômala das órbitas dos planetas sem alterar o espaço-tempo.

Lei da Gravidade GlobalFórmula da Lei da Gravidade Global

Consequentemente, o novo aumento da força da gravidade produzirá maior aceleração, maior velocidade e maior energia cinética.

Se a energia cinética é uma componente da aceleração gravitacional, a energia potencial gravitacional também será afetada. Por outras palavras, se a força gravitacional é maior com o movimento, a soma de todas as forças pontuais na trajetória de queda livre de um corpo que constituem a energia potencial gravitacional também será maior.

Em definitivo, a energia mecânica é maior com a Lei da Gravidade Global do que na Teoria da Relatividade de Einstein que, por seu lado, é maior do que na Física Clássica de Newton.

Enquanto no parágrafo anterior é necessário fazer dois esclarecimentos conceituais.

  • Eu não posso imaginar como afeta a distorção do espaço-tempo para a energia potencial em Relatividade Geral.

  • A energia mecânica na Física global depende da velocidade da massa em relação ao éter cinético e a vetor velocidade relativa ao campo de gravidade; por conseguinte, não é constante.

No livro Física e Dinâmica Global estuda-se a energia cinética e a energia potencial gravitacional da perspectiva dos mecanismos do movimento com o contributo da Lei da Gravidade Global.

 

* * *