María José T. Molina

Teoria da Equivalência Global

A LEI DA GRAVIDADE GLOBAL

Tipos de energia

Tipos de energia que suportam os tipos de movimento definidos. Conservação da energia elástica por transformação de uns tipos de energia noutros.

3.b) Tipos de energia

O clássico conceito de que a energia nem se cria nem se destrói, só se transforma é mais um princípio epistemológico que um princípio físico. Na realidade, esta característica dos tipos de energia pode-se predicar de toda a realidade física, salvo que se aceite que a matéria em sentido amplo possa converter-se em nada e vice-versa.

Por exemplo, o princípio de conservação da energia é coerente com o que já sabíamos pela equação de Einstein de equivalência entre massa e energia, que as ondas eletromagnéticas supõem uma violação da lei da conservação da massa. Se bem que são necessárias as devidas correções conceptuais do que se entende por equivalência, por massa e por energia.

O princípio clássico de conservação da energia e o resto de princípios de conservação, da matéria, da massa, etc, podem-se reconduzir a um único princípio de caráter mais geral, trata-se do Princípio de Conservação Global.

O conceito de energia e a nova perspectiva da Teoria da Equivalência Global permitem criar novos tipos de energia em função do suporte material dos mesmos e dos tipos de movimentos descritos no livro da Dinâmica Global no seu apartado correspondente.

O seguinte quadro relaciona os tipos de energia que suportam cada um dos tipos de movimento definidos pela Dinâmica Global.

O quadro mostra uma perspectiva dos tipos de energia no modelo da Física Global e a sua comparação com a Física Moderna na medida do possível.

Tentou-se relacionar os tipos de energia mais elementares. De fato existe uma grande repetição dos tipos de energia devido a que mantive a classificação dos tipos de movimento para mostrar o modelo completo.

Tipos de Energia 
Tipos de movimento Tipos energia
Física Global
Tipos energia
Física Moderna
Deslocações da globina    
  • Expansão e contração reticular.
    • Little Bang.
       
    • Afastamento e aproximação das estrelas.
       
    • Dissolução e criação de elétrons.
       
    • Criação da massa (compactação)
    • Criação da massa (confinamento)
  • Energia elástica.
    (Interação preta e branca)
  • Desconhecido.
    • Explosão Big Bang.
      (Teoria da Inflação do universo)
    • Energia escura.
      (Expansão e contração do universo)
    • Energia eletromagnética.
      (Efeito túnel sem explicar)
    • Emergentismo da energia
    • Força forte da cor
  • Vibração longitudinal da globina.
    (Causa da ressonância do núcleo atômico)
  • Energia elástica longitudinal.
  • Energia potencial gravitacional.
    (Campo de forças fictícias)
  • Movimento do campo gravito-magnético.
    (Causa das órbitas de elétrons)
  • Relaxamento campo eletromagnético.
  • Principio de Indeterminação.
  • Variação da tensão da curvatura longitudinal.
  • Energia gravitacional.
  • Efeito espaço-temporal.
Tipos de movimento Tipos energia
Física Global
Tipos energia
Física Moderna
Propagação da luz    
  • Arrasto total da luz por globina.
  • Meio suporte.
  • Efeito temporal.
  • Movimento de onda mecânica.
  • Energia elástica transversal.
  • Energia eletromagnética.
    (A não massa através do nada)
  • Curvatura da luz.
  • Força gravitacional global
    (Newton+Efeito Merlim)
  • Efeito geométrico
    (Geodésicas)
O movimento da massa (y da ondina)    
  • A dança dos ondóns. (Ondina) (Globudésicas)
    Vibração dos núcleos atômicos.
  • Relaxamento campo eletromagnético.
  • Principio de Indeterminação.
    (Energia calorífica)
  • Movimento grego ou normal.
  • Energia cinética.
  • Energia cinética.
  • Precessão anômala órbitas planetas.
  • Força gravitacional adicional
    (Efecto Merlim)
  • Dilatação-contracão do espaço.
  • Arrastamento da massa pela globina.
  • Meio suporte.
    (Movimento inverso)
  • Energia escura.

Como se pode observar, por agora existem basicamente quatro tipos de energia reticular:

  • A energia de tensão elástica longitudinal.
  • A energia elástica da curvatura longitudinal.
  • A energia de tensão elástica transversal.
  • A energia elástica de deformação reversível por espirais e compactação da globina.

A Mecânica Global explica como se transforma a energia transversal em tensão da curvatura longitudinal e energia de deformação reversível por compactação ou compreensão da globina, ao passar de energia eletromagnética a massa e vice-versa. A energia da estrutura reticular seria o tipo de energia primária ou fundamental da qual se podem derivar todas as outras. Corresponde às propriedades elásticas de Globus. Até agora, para facilitar o entendimento do modelo da Física Global, situei normalmente essas propriedades ou características nos filamentos da globina, mas não há dúvida de que a estrutura interna dos referidos filamentos também têm propriedades elásticas.

O estado de agregação da globina em que se materializa a energia cinética ou tipo de energia associado ao movimento grego ou normal é o mesmo que o da massa, mas não só a aumenta como muda a sua configuração espacial; poderia dizer-se que lhe proporciona uma forma esferóide que provoca o movimento da massa pela sua interação com a globina, segundo se explica no livro em linha da Dinâmica Global.

De qualquer forma, há pequenos detalhes do modelo que são totalmente renormalizáveis, isto é, que se podem mudar sem afetar o comportamento do resto do modelo.

Outro aspecto é que não se incluiu no quadro da interação nuclear fraca e forte por se considerarem semelhantes à energia gravito-magnética do átomo. Da mesma forma, a energia química seria semelhante à referida energia gravito-magnética do átomo, mas a nível molecular.

Nebulosa de Orión, Messier 42
(NASA-Hubble-Spitzer)
(Imagem de domínio público)  Nebulosa de Orión, Messier 42, M42, o NGC 1976 - NASA-Hubble-Spitzer

Outro aspecto interessante e um tanto arriscado é a configuração da energia calorífica como energia eletromagnética que não se relaxa com o aparecimento ou desaparecimento dos elétrons e provoca o movimento de balançar do núcleo do átomo e das moléculas que denominamos dança dos ondóns.

Em termos gerais, quando a energia calorífica aumenta, aumenta a carga elétrica ou dança dos ondóns e induz-se um aumento, nuns casos da energia eletromagnética emitida, como nas tempestades; e, noutros, da energia cinética ou da velocidade das moléculas dos gases, dependendo da facilidade de conversão de um tipo de energia em outro.

Uma vez fechado o modelo, abarcando desde a estrutura reticular da gravidade e das partículas elementares da matéria até às estrelas e aos buracos negros, pode observar-se que existe um equilíbrio dinâmico do modelo físico e que as suas partes se explicam mediante a transformação de um tipo de energia em outro ou, o que é a mesma coisa, a variação das propriedades elásticas ou energéticas da globina.

 

 
 
© 2009 Todos os direitos reservados