1.a) Teorias de unificação e teoria do todo em Física

As características mais relevantes da 2º edição do livro A equação do Amor eram o aprofundamento nas ideias iniciais e a retirada ou modificação de elementos imprecisos ou errôneos que acompanhavam as minhas cismas sobre as limitações da Física Clássica e o mal que se explica a física relativista. Agora, na 5ª edição, a intenção é situar em diferentes livros os diversos conteúdos, problemas e pontos de vista sobre os principais conceitos da ciência física pós-moderna, teoria de unificação e teoria do todo.

Desta maneira, nos livros da Física Global delimitam-se com maior clareza as reflexões da teoria de unificação e a nova teoria do todo sobre:

  • A gravidade no âmbito da metafísica.

  • Críticas a ideias estabelecidas da Relatividade de Einstein.

  • Novos princípios de física relativos aos conceitos de matéria, gravitação, eletromagnetismo e a massa na Física de Partículas.

  • As grandes incógnitas da Astrofísica e da Cosmologia atuais.

  • Novos princípios físicos em teoria do movimento e da energia.

  • As experiências científicas que suportam o novo paradigma da Física Global.

A linha fundamental, apesar de tudo, continua a ser parecida. Ou seja, manifestar a necessidade de mudar certos conceitos e formas de entender a realidade, reconhecendo os acertos da Física Moderna, em particular da Relatividade Geral e da Mecânica Quântica, deixando à vista as suas contradições, tanto próprias como cruzadas, e propondo soluções alternativas não só com uma teoria de unificação, mas também com uma teoria do todo dentro do marco do método científico.

Por outro lado, é importante esclarecer que para falar de Mecânica Quântica, da Teoria da Relatividade ou da teoria do todo não é preciso ser um gênio da matemática nem saber tensores. Assim como para falar de evolução não é preciso saber biologia molecular, para falar de filosofia não é preciso ter estudado na universidade ou para falar de religião fazê-lo em latim.

A theory of everything By The Little Molwick (English)

Em seguida inclui-se um resumo dos livros da teoria do todo da Física Global.

Esta divisão deve-se a numerosas razões como o caráter metafísico ou científico experimental do livro, a sua dificuldade matemática, a matéria tratada ou a apresentação na Internet.

  • A Equação do Amor.

    Neste primeiro livro da teoria do todo misturam-se as perspectivas da ciência moderna e da metafísica, para além da introdução sobre a relatividade do amor existem dois títulos dedicados ao tempo e à Equação do Amor e à gravidade respectivamente.

    No título II comentam-se as diferentes definições de tempo, destacando a origem subjetiva do conceito e as eternas tentativas por conseguir uma noção comum e objetiva do mesmo.

    Fala-se brevemente sobre o novo conceito utilizado pelas ciências físicas e, com mais pormenor, sobre a concepção pessoal ou metafísica do tempo e a sua linha do tempo como algo real e subjetivo em contraposição ao caráter imaginário do tempo na Física Moderna.

    O título III centra-se na Equação do Amor, a gravidade de Newton e as suas inter-relações com a Física Moderna, em especial com a equação da equivalência massa-energia de Einstein.

    • Na primeira parte discute-se a fórmula matemática da Equação do Amor e o seu significado em termos da ciência da Física Geral.

    • Na segunda parte deduz-se da fórmula anterior a equação da gravidade subjetiva e o seu significado em termos da ciência da Metafísica Global.

    Por outras palavras, a nova teoria física tenta repor no âmbito da filosofia a correta dualidade da realidade subjetiva e objetiva, separando-as de outras realidades, digamos, imaginárias. Isto não quer dizer que as realidades imaginárias não sejam corretas em certa medida, mas sim que não correspondem à forma standard, comum e mais simples do funcionamento da lógica humana e, consequentemente, do método científico.

    As soluções imaginárias podem ter um efeito a médio e longo prazo bastante contraproducente, pois impedem o raciocínio sobre os mecanismos reais, ao ocultá-los detrás do véu de uma solução parcial; normalmente ad hoc, ainda que não se reconheça.

    O livro acaba com uma rápida recapitulação sobre filosofia, ciência e religião, dado que as fórmulas nos permitem efetuar diversas interpretações a partir de diferentes pontos de vista, especialmente a partir do objetivo e do subjetivo, ajudando a nossa mente a compreender melhor o modelo global.

    Iluminação Don Magufo
    Iluminação de Dom Magufo

    Também se revela o conteúdo de uma interpretação das fórmulas a partir de uma óptica familiar, como exemplo de possíveis tratamentos da iluminação.

    Recentemente, Dom Magufo recebeu uma mensagem de texto muito carinhosa procedente da nebulosa Carina, que reproduzimos por ser simpáticos e porque algo terá que ver com a Física Clássica e a nova equação estudada:

    “Chamaram-me do céu
     dizendo que estão procurando um anjo;
    mas fica tranquilo,
    que eu não te atraiçoei. :) ”

    Para fazer participar o leitor expõe-se a Adivinha da Gravidade, de um marcado caráter intuitivo. Não obstante, a resposta dá-se a conhecer antes de que o leitor possa pensar e chegar a confirmar as suas suspeitas infundadas.

  • Teoria da Relatividade, Elementos e Crítica.

    Como não podia deixar de ser, o livro contém uma análise do contexto histórico e das causalidades despistastes que fizeram com que se aceitasse a Teoria da Relatividade.

    Depois, o livro inclui os postulados e princípios básicos, com a oportuna crítica científica e filosófica.

    Este livro de Física comenta os erros de conceito e de interpretação das múltiplas experiências que afirmam demonstrar a teoria da Relatividade; sobretudo das experiências mentais que não correspondem à realidade e que os cientistas citam porque não dispõem de experiências melhores.

    Por último, existe um apartado sobre Relatividade Geral de Einstein e a sua relação bipolar com a Relatividade Especial na medida em que a complementa e contradiz com uma impossível simultaneidade, de forma que parece irrealizável poder contradizer as duas ao mesmo tempo.

  • A Mecânica Global.

    Entre os aspectos mais relevantes da teoria do todo na Mecânica Global que afetam o conceito da matéria podemos citar:

    • Uma nova descrição da estrutura da matéria em geral ou éter global que abarca, passe a redundância, a composição e suporte material da gravidade, a energia cinética e a massa.

    • Configuração do campo de gravidade como éter luminífero.

    • Unificação das forças e campos de gravidade com as forças e campos eletromagnéticos.

    • Unificação da força da gravidade com a força nuclear débil e forte e novo modelo de átomo.

    Na realidade poderia falar-se de uma Física Global uma vez que as novas propostas não só supõem uma Teoria de Grande unificação (TUG), por explicar a interação eletro débil e a nuclear forte, como também uma Teoria do Todo (TOE) por unificar também as referidas interações com a interação da gravidade.

    Lei Gravitacional de Equivalência
    g = [ c² * h * R / G ] * n

    Logicamente, depois de tanta substituição, tanta unificação e tanto de tudo, há que recordar que uma coisa é uma autora pensar que explicou alguma coisa, outra que isso seja verdade e outra ainda que a entendam.

  • Astrofísica e Cosmologia Global.

    Depois de desenvolver a Mecânica Global para explicar os vaticínios da Teoria da Relatividade Geral de Einstein de forma alternativa e ter vislumbrado uma teoria de todo, considerei conveniente estudar as possíveis implicações da nova teoria do todo sobre as ciências da Astrofísica, a Astronomia e a Cosmologia.

    Neste livro da teoria do todo podem destacar-se as duas partes seguintes.

    • Princípios de física que afetam a Astronomia, em especial os conceitos de estrela, buraco negro, supernova, expansão e contração do universo, matéria escura e energia escura.

    • Reflexões sobre aspectos da Cosmologia como ciência que estuda a origem do universo e a Teoria do Big Bang.

  • Física e Dinâmica Global.

    Neste livro de Física Global apresenta-se a nova teoria do todo em relação ao segundo grupo de princípios de física; mas limitando-se ao movimento na estrutura reticular da matéria ou éter global tanto com simetria total ou com a curvatura longitudinal típica do campo de gravidade ou transversal de energia eletromagnética.

    Da mesma forma, precisam-se as Leis de Newton da Dinâmica tendo em conta os novos conceitos de massa, movimento e força na nova teoria do todo.

  • A Lei da Gravidade Global.

    A intenção é reunir ideias propostas da nova teoria do todo sobre os problemas da energia gravitacional e o movimento com gravidade, de forma construtiva; ou seja, apresentando-as pelos seus próprios valores e não por implicar nenhuma contraposição a ideias anteriores, ainda que se realizem as pertinentes comparações.

    Tudo isto implica a alteração da Lei da Gravitação Universal de Newton, ao explicar os componentes da atractis causa e as consequências da energia gravitacional sobre o movimento na nova teoria do todo.

    Antes do estudo das energias gravitacional potencial, cinética e mecânica apresenta-se a Física Global de uma maneira formal, enumerando-se e discutindo-se as leis físicas que enuncia, os princípios físicos afetados ou envolvidos e as consequências mais importantes e imediatas sobre o movimento.

    Lei da Gravidade GlobalFórmula da Lei da Gravidade Global
  • Experiências de Física Global.

    Propõem-se experiências físicas realizáveis para demonstrar a incorreção da Teoria da Relatividade, especialmente o denominado Longínquo Michelson-Morley e explicar fenômenos que a Relatividade Geral não chega a entender pelas suas limitações matemáticas, curiosamente chamadas singularidades.

    Porque as experiências de física da nova teoria de unificação e teoria do todo estão desenhadas com uma concepção diferente da natureza, a Física Global é uma teoria científica dentro da Física Pós-Moderna que propugna um novo paradigma.

    * * *

Convém citar o livro sobre o Método Científico Global, que tenta compreender porque se aceitaram tantas teorias tão débeis e expor a necessidade de novos paradigmas de ciência.

No caso da física, para otimizar os recursos cerebrais, seria muito desejável o desaparecimento das forças fictícias, das forças mágicas ou a distância como a gravidade atual, as energias negativas, as retas curvadas, os tempos acelerados e as confusões entre as magnitudes e as medidas que efetuam os instrumentos; sobretudo, quando se sabe que os instrumentos são sensíveis a certas condições.

 

* * *