O CÉREBRO

1.a) Cérebro e psicologia cognitiva

O livro de psicologia cognitiva sobre os aspetos cognitivos do cérebro e dos computadores modernos é o primeiro dos quatro em que se dividiu a Teoria Cognitiva Global para a sua publicação em linha na Internet.

O cérebro quadrado - Niza
O cérebro quadrado - Niza

Um breve resumo do conteúdo destes livros encontra-se na próxima página Web.

No final desta página sobre evolução e psicologia cognitiva figuram os enlaces relacionados que incluem os quatro livros citados e um ensaio de psicologia experimental, que fazem a edição em papel do livro da Teoria Cognitiva Global:

  • O Cérebro e os Computadores.
  • Inteligência, Intuição e Criatividade.
  • Memória, Linguagem e outras Capacidades Intelectuais.
  • Vontade e Inteligência Artificial.
  • Estudo EDI - Evolução e Desenho da Inteligência.

A origem das ideias originais da Teoria Cognitiva Global estava inicialmente incluída no livro da Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida.

Também se citam nos enlaces relacionados com a própria Teoria Cognitiva Global o relativo à citada Teoria Global da Evolução Condicionada da Vida, por abordarem as duas teorias o tema central da psicologia cognitiva da inteligência, os seus mecanismos, origens e evolução a partir de distintas perspectivas.

Por outras palavras, quando pensei que determinadas regras de genética evolutiva aplicadas à psicologia cognitiva e às funções do cérebro podiam explicar a evolução da inteligência, dei conta imediatamente que a verificação experimental do correspondente modelo podia refutar a teoria da evolução de Darwin e favorecer a teoria de Lamarck.

Essa refutação tinha-se transformado num objetivo pessoal a longo prazo desde que era consciente de que não a tinha explicado mal, mas sim que era uma teoria muito fraca do ponto de vista científico.

A comparação das características de psicologia cognitiva entre o cérebro e os computadores modernos é muito útil para efeitos expositivos dos conceitos básicos de memória, inteligência e requisitos de funcionamento do sistema.

Ao mesmo tempo, o paralelismo entre o funcionamento do cérebro e os computadores é óbvio e extenso, e todo o mundo está de acordo em que o passo tão rápido de Windows 3.1 a Windows 8 não se pode produzir por mutações aleatórias ou pseudoaleatórias. Talvez com um tempo relativo e uma eternidade pela frente...!

Um enlace relacionado indiretamente com a psicologia cognitiva e o cérebro é o livro sobre o Método Científico Global entendido este como a aplicação da lógica à geração de conhecimento comum com um alto grau de fiabilidade.

De acordo com a sociologia da ciência, a fase ou etapa de aceitação geral de uma nova teoria científica está muito mediatizada por todos os tipos de interesses sociais, desde os sociológicos como no caso da teoria de Darwin, até aos práticos de ordem técnica, como no caso da Teoria da Relatividade do cérebro de Einstein.

Como dissemos, a edição em papel da Teoria Cognitiva Global inclui um quinto livro virtual, o Estudo EDI, ao ter-se efetuado a investigação estatística proposta pela Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida para a sua validação empírica.

No referido estudo investigam-se empiricamente importantes considerações da Teoria Cognitiva Global relativas à evolução e ao cérebro.

Convém assinalar que o Estudo EDI, de abril de 2002, demonstra claramente, seguindo o método científico, os seguintes aspectos:

  • O caráter hereditário da inteligência relacional (r² até 0,99), a significatividade do cromossoma de menor potencial intelectual e funcionalidades importantes da diferenciação sexual de acordo com o apontado sobre o cérebro e a psicologia cognitiva pela Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida e a Teoria Cognitiva Global que se deriva da mesma.

  • O desenvolvimento do potencial intelectual encontra-se limitado pelo potencial menor dos dois potenciais herdados quando existe a condição de verificação (caso particular da inteligência condicional). Ou seja, o potencial intelectual necessita das duas fontes de informação genética recebida dos progenitores para se expressar e, por outro lado, encontra-se limitado por ambos.

  • Como se não bastasse, com a cautela que o tema merece, demonstra-se cientificamente a existência de uma evolução finalista ou teleológica de acordo com o apontado pela TGECV – Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida.

A dedução lógica é a necessidade de efetuar estudos mais extensos aplicando a mesma metodologia, dado que os resultados atuais sugerem uma mudança tão radical das posturas mantidas no presente pela maior parte da comunidade científica e da sociedade que bem poderia considerar-se uma mudança de paradigma.

Um exemplo de aprofundamento do estudo com quocientes de inteligência, que foi acrescentado posteriormente (Setembro 2002), encontra-se no apartado relativo à Modelo Globus de escolha de marido/mulher e inteligência. No referido apartado confirma-se uma hipótese sobre um requisito concreto relativo ao limite aceitável da diferença em inteligência no momento de escolher marido/mulher, reforçando simultaneamente a coerência global do modelo. De fato, o requisito refere-se à escolha inconsciente de uma inteligência desconhecida para a psicologia atual.

Dado que uma mudança de paradigma não se produz com facilidade, como bem assinala a sociologia da ciência, em junho de 2011 incluiu-se no livro da Teoria Geral da Evolução Condicionada da Vida a proposta da experiência de Darwinoutro para confirmar os resultados obtidos de acordo com as novas teorias científicas sobre a psicologia cognitiva e o funcionamento do cérebro.

A metodologia da nova experiência é muito mais simples do que a utilizada na investigação do Estudo EDI, tanto na sua realização como na sua compreensão.